Os agentes cubanos da paz vestem jalecos

Os mais variados meios de comunicação são parte da superestrutura burguesa, como evidenciou Marx. A propaganda em si, é grande arma do imperialismo que também se abrange a cultura, principalmente num contexto de fluxo de dados e guerra híbrida. É possível verificar que os variados meios de comunicação das classes dominantes ignoram a ajuda cubana no combate ao COVID-19, no entanto, isso não é recente. Quando ocorreu Chernobyl, a ilha socialista ajudou as crianças vítimas da tragédia e foi concedido tratamento gratuito por mais de 20 anos.

Em 1986, Fidel recebeu pessoalmente as crianças vítimas do acidente de Chernobyl. A Ucrânia também solicitou ajuda internacional numa quinta-feira do referido ano, no sábado Cuba já enviava seus médicos.

Fidel ainda declarou: "Para nós é um dever ajudar. E esperamos que venham mais, aqui cabe mais crianças." E mais: "é um dever nosso ajudar, não estamos fazendo propaganda."

Em pleno 2019, Cuba foi grotescamente atacada por Jair Bolsonaro, legitimado por 57 milhões de pessoas, pelo mercado financeiro e por toda superestrutura burguesa. A Revolução liderada por Fidel, junto com seu povo, não proporcionou apenas o desenvolvimento de uma medicina admirada no mundo inteiro, bem como extinguiu o analfabetismo e derrotou a mortalidade infantil.

Fidel é chamado de ditador por um medíocre que a todo tempo desrespeita não só a figura do Comandante, mas, que agride a soberania alheia e ofende toda uma nação - historicamente parceira e não inimiga do Brasil. Castro para Jair é ditador, ainda que não tenha uma execução sumária em seu currículo, ao contrário de seu ídolo, Pinochet. Bolsonaro também é adorador da ditadura civil militar empresarial brasileira, regime o qual torturou e tem representado na figura de Ustra - outro ídolo do Capitão, o símbolo máximo da tortura, indivíduo que inclusive, enfiava ratos nas vaginas das mulheres submetidas à tortura.

A pandemia do Corona vírus novamente evidenciou ao mundo o caráter da Revolução de 59 e de como Cuba desafia a lei do valor. Foi anunciado que seria disponibilizado um Interferon (antiviral que detém a multiplicação do vírus) mais potente que é efetivo para o Coronavírus - já fabricado há anos na Ilha, o que demonstra a superioridade na biotecnologia mesmo com um anacrônico embargo. O medicamento cubano foi utilizado para curar 1.500 pessoas na China.

Além disso, Cuba enviou uma equipe com mais de 50 médicos e enfermeiros para a Itália, especificamente pra Lombardia, uma das regiões mais afetadas da Itália pelo COVID-19, cerca de 3.000 mortos. Se trata da sexta brigada que sai em direção ao exterior para ajudar na empreitada contra a pandemia, ressaltando que esses médicos já estavam presentes no combate a Cólera no Haiti e contra o Ebola na África Ocidental.

Cuba segue a exportar medicina e Fidel, de fato será absolvido pela história. Independente disso, nenhum canalha colocará em xeque as conquistas de um povo que escolheu ser liberto.

"Quando um chefe de Estado, ou quem pretende sê-lo, faz declarações ao país, não fala por falar; abriga sempre algum propósito, persegue sempre um efeito, anima-o sempre uma intenção." Fidel Alejandro Castro Ruz, durante sua autodefesa: a história me absolverá.

48 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo